quinta-feira, 15 de abril de 2010

Amsterdam


Como sugere o título deste blog, discorro um pouco agora sobre minha passagem por Amsterdam. Estive lá a trabalho entre 22 e 27 de março último, consequentemente também como turista acidental. Descrobri que a cidade leva uma fama exagerada pelo liberalidade em relação a drogas e sexo.

Não digo que seja bom o que aconteceu na legislação ultraliberalista daquele país; somente por uma herança cultural daquele povo, a coisa toda tem ordem e disciplina.

Não vi gente se drogando na rua como vejo no Brasil. Vi botecos onde há placa de interdição ao uso de drogas em seu interior. E o proprietário é respeitado.

Não vi expressões explícitas de homossexualismo como vejo no Brasil. Vi um festival de heteros estrangeiros adultos buscando desesperadamente um liberalismo sexual como se fossem adolescentes reprimidos.

Não vi prostitutas nuas se oferecendo ostensivamente em vias públicas como vejo na Avenida Getúlio Vargas em Curitiba ou na Av. Indianópolis em São Paulo. Mas vi um shopping center com vielas onde só anda quem quer - a pé - com mulheres semi-nuas dentro de vitrines como em lojas de lingerie.

Não que isso tudo não deixe de indicar facetas da miséria humana, sem norte e sem conexão com Deus, porém minha visão de estrangeiro só reforçou a lembrança da hipocrisia de gente que milita aqui por liberalizações de certas desgraças, quando na prática não há constrangimento social real nenhum para tais práticas.

Um comentário:

  1. Primeiro, seja bem vindo à blogosfera, Kova. Sobre o texto: Conheço pessoas que menosprezam outros, não por descaso, mais para serem melhores mesmo - desta maneira, não precisam de qualquer empenho, basta afirmar superficialmente que "na Holanda é bem pior, só tem ´droga´ e sacanagem"...

    Continue viajando...

    ResponderExcluir